Montanha do Abandono

Treeless Mountain (2008 – COR) 

A vida das irmãs já não eram fácil em Seul. A mãe, sozinha, precisava de favores dos vizinhos e de altas responsabilidades da mais velha (voltar sozinha da escola, cuidar da irmã) no dia-a-dia familiar. Quando a mãe parte em busca do pai das crianças, deixando-as sob cuidados da cunhada, é que se evidencia a dor no coração, em constatar, a vida dessas adoráveis pequenas. A doçura da mãe, a dedicação, nem de longe se apresentam no comportamento da tia, as meninas tornam-se obcecadas pela possibilidade de encher o cofre de moedas e assim rever a mãe (na metáfora que as crianças levam ao pé da letra).

Kim So-Yong utiliza muitos planos fechados, isso num filme focado, integralmente, em duas meninas entre 3-6 anos, traz uma sensação de proximidade, de dividir o espaço com elas, de praticamente brincar com aquelas duas garotinhas tão amáveis e desamparadas. A câmera como catalisadora desse universo infantil corrompido, o estranhamento de duas crianças que amadurecem além da idade, que precisam cuidar uma da outra sem uma presença adulta, que seja no mínimo, carinhosa e paliativa de comportamentos.

A cada cena um novo golpe no coração do público, sem abusar de acontecimentos perversos o filme apenas pontua com singeleza um cotidiano de esperança, de expectativa, de crianças distantes da escola, renegadas a um convívio familiar fragmentado, em meia dúzia de acontecimentos corriqueiros que eclipsam esse abandono (in)justificável.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s