Cão Branco

White Dog (1982 – EUA) estrelaestrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinza

Dócil, carinhoso, a grande maioria se encanta pelos afagos de um cão. Samuel Fuller demonstra toda a paciência do mundo, sob a estética oitentista, o diretor desenvolve a relação amistosa, de uma aspirante a atriz, e um cão branco, encontrado na rua, que mais tarde a salva de um estupro. Mas onde se encaixa o grande tema do filme, o racismo? Exatamente isso, Samuel Fuller é daqueles que fala por imagens, seu filme não requer grandes atuações ou diálogos geniais, ele usa o trivial, do simples as imagens falam por si, e a violência é o melhor fio condutor para tratar um tema como o racismo. O tal cão branco, ensanguentado, atacando inocentes pela rua beira o terror, amedronta, assusta.

Daí, até descobrirmos que o cão é um assassino treinado para atacar pessoas de cor negra é quando temos dimensão do que Fuller quer expor. Sua nova dona deseja salvá-lo desse “treinamento” hediondo, temos a luta do homem contra o animal, a irracionalidade do instinto tanto do cão quanto daqueles que o deixaram assim, tão cruel e de forma tão dirigida. O impacto vai direto ao estômago, a cada ataque, a cada cena de fúria canina, o cão representa a força inexplicável com que tal absurdo contamina as pessoas, Fuller brinca com a irracionalidade enquanto nos amedronta com essa violência feroz.

Anúncios

3 comentários sobre “Cão Branco

  1. Pingback: White God |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s