Um Dia de Cão

Publicado: março 1, 2012 em Uncategorized
Tags:,

Dog Day Afternoon (1975 – EUA)

Colocando de maneira muito rala, é a história de um assalto a banco frustrado. O que desencadeia esse fato é o que Sidney Lumet estava verdadeiramente filmando. Seu filme é vibrante, pungente, excêntrico e até desafiador. Al Pacino é o estopim, a chama que acende e mantém viva a alma do filme, e de maneira visceral, empolgante, anárquica. Primeiro que aos olhos da atualidade, os fatos reais parecem amadores, não é possível imaginar um assalto a banco administrado daquela forma, os tempos são outros, os assaltantes são outros. Porém, o que acontece ali é a transformação do bandido em herói, Sonny (Al Pacino) conquista a opinião pública, atrás da polícia uma multidão grita seu nome, torce a favor, o assalto se transforma numa grande manifestação contra repressão, as autoridades e a polícia.

E, nesse ponto, os gritos inflamados de Sonny contagiam a torcida, sua vibração vai além das motivações que o levaram a tal ato violento e “injustificável”. Sob as lentes da tv, nasce um mártir, dentro dele se misturam tantos sentimentos, que o controle da situação acaba perdido pelas proporções. Os coadjuvantes estão espalhados pelo banco ou na rua, mas o filme é Pacino e Lumet, um colocando lenha e o outro ardendo numa fogueira de sentimentos e frustrações, de conflitos (que envolvem até sua sexualidade) e decisões. Sonny pulsa e com ele todo o público que pode presenciar a verborragia triunfal dos gritos de “Attica, Attica, vocês se lembram”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s