Toda Nudez Será Castigada

Toda Nudez Será Castigada (1973) estrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

Na hipocrisia da “classe média” puritana e convervadora brasileira Nelson Rodrigues deita em rola com sua capacidade de “marginalmente” extravasar desejos e situações camufladas, em tentar expor a verdade sobre o brasileiro médio. Religião, sexo, álcool, o tripé que parece motivar (ou socialmente a sociedade revela como crucial) personagens entre os prazeres e deveres para com a etiqueta social e familiar.

O viúvo puritano, o filho religioso ultra-conservador, a paixão por uma prostituta, o irmão vagabundo que empurra o viuvo nesse mundo marginal. Arnaldo Jabor adapta o texto de Nelson Rodrigues, traz a tona esse mundo de devassidão e vergonha perante os familiares. Porém, Jabor conduz sua história de qualquer jeito, com cenas frouxas, com atuações qualquer nota e a sensação de que basta filmar os diálogos e o texto por si só torna-se forte. Daqueles filmes que envelheceram mal, que por mais que tenham temas universais à sociedade brasileira, já surgem com uma lingaguem tão defasada, uma devassidão tão de qualquer jeito, que acreditar nos tons de tragédias e nas paixões arrebatadoras se torna tarefa ingrata.

Anúncios

2 comentários sobre “Toda Nudez Será Castigada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s