Martin

Martin (1976 – EUA) estrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

Elogiado como o mais naturalista dos filmes de vampiro já filmados desde Nosferatu, o longa foi mais um dos que deram prestígio ao cinema de terror de George A. Romero. O roteiro está calcado na sede de sangue do “falso” jovem que vem morar na casa de um tio católico fervoroso, na esperança de conter seus repentinos ataques e desejos. Porém, a ingenuidade do personagem é praticamente a mesma do roteiro, que cria situações sem uma grande preocupação com o bom-senso do “para cada ação, uma reação”. Assistimos ao jovem descobrir a primeira noite de sexo sem que esteja usando o corpo após um ataque, ou suas ligações para um programa de rádio notívago narrando as peripécias da vida de um vampiro e o que são boatos ou não. Romero cria a atmosfera na seqüencia inicial dentro do vagão, e depois apenas liga o piloto-automático se valendo desse “naturalismo” que apenas camufla o baixo orçamento.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s