Maratona Hou Hsiao-Hsien para comemorar 2000 filmes

Publicado: agosto 6, 2012 em Uncategorized
Tags:,

Se você é um dos, aproximadamente, 5 leitores que devem visitar esse blog regularmente, as vezes me pergunto o que voces vem fazer aqui (não que não sejam bem-vindos, porque mais que são, mas ainda assim me pergunto) nessa espécie de caderno de anotações de cinema. Pois bem, se voce faz parte desse minúsculo grupo, e se não sabe que minha cinefilia começou oficialmente em Fevereiro de 2002 quando escrevi meu primeiro texto que foi parar na internet num blog/site qualquer (e o filme era Uma Mente Brilhante), saiba que nos últimos dias completei 2000 filmes vistos desde então. Na verdade é só um numero, não representa nada, não quer dizer nada além de que sou um cara metódico e organizado que assiste uns 200 filmes/ano e anota cada um deles numa planilha.

Então, no fundo, essa balela toda não tem importância nenhuma, eu queria mesmo era chamar atenção para o mergulho que fiz na filmografia do cineasta chines, radicado em Taiwan, Hou Hsiao-Hsien. Infelizmente não pude conferir aos dois primeiros trabalhos (Menina Bonita e Vento Gracioso), mas já sei que não são filmes que acrescestem muito à sua obra. Essa espécie de maratona veio logo após ter assistido a alguns de seus filmes mais recentes (que já foram publicados aqui). Ao seguir cronologicamente sua carreira é fascinante descobrir o ritmo de mudanças e amadurecimento de seu trabalho, transições, reafirmações, enfim, a constituição da obra de um autor. Por isso, começo hoje uma sequencia de publicações de minhas impressões sobre todos esses filmes (abaixo links para os textos dos publicados anteriormente, que acabei assistindo antes dessa maratona).

Meus 5 leitores, quem sabe não desperte em voces, a vontade de assistir a 1-2 filmes desse cineasta, pelo menos, posso afirmar que pode ser uma experiência revigorante. Desde seus trabalhos iniciais num estilo Sessão da Tarde (como Grama Verde de Casa ou Um Verão na Casa do Vovô), onde a cada filme a idade das crianças-protagonistas avançam enquanto somos apresentandos ao ritmo de vida pacato de Taiwan ao longo de décadas passadas (o mais autoral e importante deles é Os Garotos de Fengkei, marcando a primeira mudança em sua carreira).

Mais adiante, filmes que misturam esse cotidiano com a história do país (Um Tempo para Viver, Um Tempo para Morrer), a relação com a China Continental e a dominação japonesa na Segunda Guerra Mundial, culminando com a trilogia que leva essa abordagem política ao ápice (Poeira no Vento, Cidade das Tristezas, e O Mestre das Marionetes). Alguns falam em esgotamento de sua fórmula em Bons Homens e Boas Mulheres, a meu ver é um filme de transição, ele conecta seu velho cinema ao que estava prestes a iniciar, são dois filmes dentro de um, o mundo contemporâneo com lirismo e a história política revisitada.

Com Adeus ao Sul ele buscava o experimentalismo, seu estilo como cineasta estava depurado, mas ele queria buscar os limites como um tenista que tenta jogar cada vez mais próximo das linhas da quadra. Ele dispensa o roteiro para apurar sua técnica. Em seu trabalho mais festejado ele dá um passo atrás, Flores de Xangai viaja ao mundo dos prostíbulos de luxo do fim do século XIX.

Em Millenium Mambo começava sua parceria com a atriz Shu Qi, já, definitivamente, no mundo comtemporâneo, Hsiao-Hsien mergulha na relação conturbada de um jovem casal, o cineasta filma mais que a juventude, ele encontra a paixão distante da razão. Café Lumiére é sua homenagem a Ozu, levando sua trama ao Japão ele narra a história de uma garota independente.

Em Three Times ele utiliza um mesmo casal e três épocas distintas para narrar o amor (a terceira história é linda , mas a primeira é uma das maiores obras-primas do cinema). Seu último trabalho lançado nos cinemas foi A Viagem do Balão Vermelho, Juliette Binoche vive a mãe de um garoto, o filme praticamente não sai da sala onde tudo acontece naquela casa, outra bela homenagem, dessa vez ao clássico frances O Balão Vermelho.

Three Times *****

Millenium Mambo ****

A Viagem do Balão Vermelho ****

Café Lumière ****

comentários
  1. fabiana disse:

    fiquei com medo dessa história de planilha. Jura?

    Curtir

  2. ailtonmonte disse:

    Sou testemunha da tal planilha. hehehe
    Michel, por que não tem cotação para os outros trabalhos do HHH?

    Curtir

  3. chicofireman disse:

    Parabéns pelos 2000. Gostei da ideia da maratona!

    Curtir

  4. :De disse:

    Parabéns pelos 2000! [2]
    Eu pelo menos venho aqui pra descobrir algo que não conheço 🙂 E é legal ver como sua opinião difere da maioria às vezes… hahaha Mas tem o lado ruim, nem sempre tenho tempo ou acho os filmes… E só pra concluir: sim, fiquei com vontade de ver Hou Hsiao-Hsien… Quero ver Café Lumière… 😦

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s