No (2012 – CHL) estrelaestrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinza

Pablo Larraín volta a utilizar aquele aspecto de imagem suja, forjando o vídeo, anos 80. Dessa vez o artifício é utilizado devido ao grande acervo de imagens de arquivo. Estamos ao fim da ditadura de Pinochet, o país vive o plesbiscito que questiona a manutenção ou não de seu governo.

O tema político é levemente desviado para as campanhas de TV do Sim e do Não. Larraín narra com furor, com gana, e, obviamente que o aspecto histórico conta a seu favor. Ainda assim, seu filme não chega a brilhar, falta inflamar, começando pelo protagonista (Gael Garcia Bernal) ora contido, ora engajado (muito mais por suas convicções marqueteiras), tão velado quanto a repressão do militarismo do governo.

 

comentários
  1. O Clube | disse:

    […] sua trilogia de histórias na ditadura Pinochet (Tony Manero, Post Mortem e No), o diretor chileno Pablo Larraín mira suas críticas à Igreja Católica. Num pequeno vilarejo […]

    Curtir

  2. Neruda | disse:

    […] sul-americanos mais queridinhos da crítica internacional. A consagração veio com o sucesso de No e O Clube, e que o levaram agora a Hollywood para a biografia de ninguém menos de Jackie Kennedy. […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s