Anna Karenina

annakareninaAnna Karenina (2012 – ING) estrelaestrelaestrela1_2estrela_cinzaestrela_cinza

De uma vez por todas, Joe Wright, prova a si mesmo, que seu negócio são os filmes de época. Apostando em inovações técnicas que oferecem mais dinamismo à narrativa, o diretor revive o tão refilmado clássico de Tolstoi, com um quê de jovialidade.

A corrida de cavalos invadindo o palco do teatro, o balé das câmeras ainda mais presente, a belíssima cena de dança entre Karenina (Keira Knightley) e Vronsky (Aaron Taylor-Johnson). Wright filma a Rússia do século XIX com um glamour e beleza irrepreensíveis.

O aspecto visual deslumbrante e o esplendor sonoro camuflam as fracas atuações masculinas (tanto de Taylor-Johnson, quanto a presença apagada de Jude Law). Mas a questão central mesmo são as fragilidades do roteiro, transformando a Karenina de fibra numa sofredora amorosa, e patinando feio na segunda metade.  A diluição da jovialidade, que consegue eliminar aquele aspecto de “filme lento” que parte do público não gosta, porém fica apenas um drama romântico clichê.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s