O Ato de Matar

Publicado: agosto 2, 2013 em 5 Estrelas, Cinema
Tags:,

actofkillingAct of Killing (2012 – DIN) estrelaestrelaestrelaestrelaestrela

Quando sairam as primeiras críticas, durante o Festival de Berlim, fiquei estupefato. Queria entrar por entre a tela do computador para dentro do filme, acompanhar tudo, saber mais, assisti-lo o mais rápido fosse possível. Estou tentando encontrar um paralelo, para dar dimensão da representatividade desse documentário, mas não, não há precedentes para algo do gênero.

Chamar de feito é um eufemismo, Joshua Oppenheimer foi até a Indonésia e conseguiu depoimentos sobre a ditadura militar. Só que os relatos são dos torturadores, não dos torturados. Impensável, não é? Sim, mas se pensarmos que é o mesmo grupo que governa aquele país desde os anos 60, e por isso, ele sentem-se seguros de assumir as barbáries.

Não me pergunte como, Oppenheimer conseguiu um feito. Ele ouve e filma simulações das torturas da época. São cenas deploráveis, vergonhosas. E vai além, ao conseguir trazer o cinema à discussão. O quanto o cinema teve influencia nas formas de tortura? Os torturadores se autointitulam gangsters, o documentário os coloca como atores, eles atuam em cenas de tortura que eles mesmos lideraram. Alguns caem na real, choram, de alguma forma se dão conta das atitudes hediondas.

Act of Killing fica em sua memória por dias, semanas, talvez jamais sairá da minha. E só cresce, do ódio aos torturadores, à falta de justiça, e a uma admiração inestimável à capacidade de Oppenheimer mostrou de transformar velhinhos em monstros, de forma tão natural e simples, basta fazê-los falar, ou demonstrar suas táticas. Jamais um filme sobre revolta, muito mais um filme que causa a revolta dentro de nós mesmos.

comentários
  1. João disse:

    O melhor filme que assisti nesse ano e é um dos melhores documentários de todos os tempos. O filme também continua na minha cabeça. Só não entendi as 4 estrelas…

    Curtir

  2. […] O Ato de Matar, de Joshua Oppenheimer […]

    Curtir

  3. […] (como o novo dos diretores portugueses de E Agora? Lembra-Me, ou do dinamarquês que dirigiu O Ato de Matar), ao longo do ano, pela crítica internacional […]

    Curtir

  4. […] e a matança comandada pelo governo, que até hoje está no poder. O documentário anterior, O Ato de Matar, foi o feito que causou choque pelo material impensável, onde torturadores narram detalhes e […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s