Links da Semana

Publicado: outubro 6, 2013 em Links da Semana, Mostra SP
Tags:,

• O grande destaque da semana é a Mostra SP. Ontem foi dia de Coletiva para Imprensa, com apresentação da vinheta (baseada em pinturas da esposa de Kubrick), e da lista de filmes que farão parte da 37ª Mostra SP. Abaixo mais informações.

• Comoção nas redes sociais com revelações sobre o novo livro de Bridget Jones [Uol Cinema]

• Um pouco sobre Mad Men e Don Draper nessa entrevista [IndieWire]

• O filme Gravidade, de Alfonso Cuarón, fez sucesso no festival de Veneza, de Toronto, no circuito nos EUA, e no festival do Rio. Terá estreia no Brasil na próxima sexta-feira. Aqui, alguns destaques internacional [Slant Magazine] [Little White Lies]

________________________________________________________________

Mostra SP

Quando perguntada, Renata de Almeida, disse ter problemas com o adjetivo “pop”. No fundo, estava se fazendo de desentendida sobre a ausência, pelo segundo ano, dos filmes mais pops (aqueles com atores mais famosos do grande público). A verdade é que, sob sua administração, a Mostra perde o público de filmes do Tarantino, Machete, ou Woody Allen. Os atores de Hollywood perdem espaço, sobrando mais para os filmes que ocupam as grades dos festivais (que já eram a maioria da programação mesmo).

O festival continua grandioso, quase 400 filmes, patrocinadores novos e tradicionais, e a sensação de que o acontecimento movimenta a cidade. Exibições ao ar livre, com acompanhamento musical serão duas (Ibirapuera e no Anhangabau, uma delas do filme Nathan, O Sábio). A Abertura será com filme de diretores pops (segundo Renata), os Irmãos Coen, o encerramento com o filme-homenagem Que Estranho Chamar-se Federico – Scola Conta Fellini.

Outro grande destaque é o Foco Coréia, de filmes novos a clássicos, incluindo retrospectivas de diretores que fizeram sucesso na Mostra (como Park Chan-wook).  Eduardo Coutinho terá mais de 20 filmes seus em exibição, Renata frisou que foi ele mesmo quem escolheu os títulos, incluindo suas obras de ficção (que ele não é muito fã). O filipino Lav Diaz com seus filmes de mais de 4 horas, e todos os filmes do mestre Stanely Kubrick (casada com a exposição no MIS sobre ele).

Novamente a Mostra perde feio para o Festival do Rio nessa rivalidade pelo exclusivo. Quem perde mesmo são os cinéfilos de SP, mas tudo bem, com a quantidade de filmes disponíveis será possível garimpar muita coisa e deixar os filmes mais esperados para quando chegarem via circuito.

Abaixo uma lista (sem qualquer ordem de preferencia) com alguns dos meus destaques da Mostra, e que farão parte da minha programação. Isso, sem falar, nas retrospectivas, Kubrick, Coutinho e Lav Diaz, que são grandes oportunidades de ver no cinema, ou conhecer, grandes filmes de grandes cineastas:

Ilo Ilo, de Anthony Chen – destaque de mostras paralelas em Cannes

La Jaura de Ouro, de Diego Quemada-Díez – outra destaque de mostras paralelas em Cannes

O Foguete, de Kim Mordaunt – melhor filme em Tribeca 13

A Mulher do Policial, de Philip Gröning – grande destaque da seleção principal de Veneza

Cães Errantes, de Tsai Ming-Liang – outro sucesso da seleção principal de Veneza

Club Sandwich, de Fernando Eimbcke – bons elogios em San Sebastian, e um diretor que merece crédito

E Agora? Lembra-me – premiado em Locarno, mas não é para todos os gostos

O Lobo Atrás da Porta, de Fernando Coimbra – brasileiro premiado em San Sebastian

Omar, de Hany Abu-Assad – outro destaque de mostra paralelas em Cannes, e outro diretor com crédito

Pais e Filhos, De Hirokazu Kore-eda – destaque da mostra principal de Cannes

Pelo Malo, de Mariana Rondón – vencedor melhor filme em San Sebastian, diretora de Postales de Leningrado que agradou muita gente na Mostra há alguns anos

Tatuagem, de Hilton Lacerda – um dos filmes brasileiros mais elogiados do ano

Um Toque de Pecado, de Jia Zhang-Ke – sucesso na seleção principal de Cannes

Child’s Pose, de Calin Peter Netzer – Urso de Ouro (melhor filme) em Berlim 13

• O Grande Mestre, de Wong Kar-Wai – exibido em Berlim 13

Diretores cujos filmes não causaram tanta comoção em festivais, ou nem mesmo participaram este ano, mas que merecem atenção:

Carta, de Sergei Loznitsa

Ana Arabia, de Amos Gitai

Redemption (curta-metragem), de Miguel Gomes

O Jardineiro, de Mohsen Makhmalbaf

Cortinas Fechadas, de Jafar Panahi e Kambuzia Partovi

Uma Família em Toquio, de Yoji Yamada

Inside Llewyn Davis, de Joel e Ethan Coen

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s