Cães Errantes

Publicado: novembro 4, 2013 em Cinema, Mostra SP
Tags:, ,

caeserrantesJiao You / Stray Dogs (2013 – TAW/FRA) estrelaestrelaestrelaestrelaestrela_cinza

Tsai Ming-Liang volta, ainda mais radical em seu estilo, e com o discurso afiado e poderoso como sempre. Continua sendo o cineasta das águas, ela está em toda parte. Na chuva torrencial que cai sobre Taipei, quase o filme todo, e até na urina, em cenas fisiológicas que Tsai teima em filmar, trazendo o cinema ao convívio da intimidade pessoal, de cada um de nós.

Aliás, Tsai abusa do incômodo causando ânsia no público em boa parte das cenas que retratam o mais comum possível, um homem se alimenta com um frango, ou com um repolho, o longo plano registra atentamente o homem ruminando sobre aquele alimento. Puro asco! Porém, longe de um plano barato, estilo cinema grego, de causar desconforto puro, Tsai insiste em lembrar que pobres ou ricos, todos executam suas necessidades básicas diariamente, não há como se fugir.

caeserrantes2Os óbvios planos de cães errantes (nem precisaria deles, Tsai), se alimentando por entre escombros, são a metáfora daquela família. Nas primeiras cenas a mãe os abandona. Resta o pai (Lee Kang-sheng), que trabalha carregando aquelas placas de propaganda (faça chuva, faça sol), e os dois filhos. Fome, não ter onde morar, todas as mazelas de uma vida de mendigo são eclipsadas por Tsai e seus planos poderosos, de câmera fixa, longos, retratando a crueldade humana para com seus semelhantes.

Uma cena se repete três vezes, debaixo de chuva o homem segue trabalhando, com sua capa amarela e a propaganda de venda de algum imóvel. O filme volta adiante, agora um plano mais fechado daquele homem, Um pouco além, outro plano, um close-up dos olhos lacrimosos, aquele corpo moído, o desespero de uma alma que passa por moléstias por tentar o de comer a seus filhos.

caeserrantes3Fala-se muito na sequencia final, um longo plano-sequencia estático de 13 minutos, que só no final descobriremos para onde aqueles dois estão olhando. Duram 13 minutos, mas aos que estão hipnotizados por aquela história de um roteiro tão minúscula, a cena dura 2-3 minutos. Quanto maior a duração, mais emoções, e a representatividade deles, passam por nossa cabeça. Mágica essa capacidade de tirar muito de praticamente nada, mas eu ainda prefiro o momento em que um repolho serve para preencher um vazio que, na verdade, não consegue ser preenchido de forma alguma. Tirem suas próprias reflexões.

Anúncios
comentários
  1. […] Cães Errantes, de Tsai […]

    Curtir

  2. […] Cães Errantes, de Tsai Ming-Liang […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s