Miss Violence

Publicado: novembro 8, 2013 em Cinema, Mostra SP
Tags:, , ,

missviolenceMiss Violence (2013 – GRE) estrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

Depois de ter assistido a uma boa leva de filmes grego dessa “nova onda”, que anda marcando forte presença nos principais festivais, fico me perguntando quem inventou esse cinema grego? Com mais calma percebo que a pergunta está errada, o problema não está no inventor, mas em quem consome e absorve esse cinema? Todos os filmes que, de alguma forma, tem chamado a atenção se repetem, à exaustão, numa estética mórbida, num ritmo narrativo esquemático, e num perturbador tema abordado sempre da mesma maneira (famílias muito problemáticas, com patriarcas linha-dura, e o sexo de forma violenta-perturbadora).

O trabalho de Alexandros Avranas segue a mesma linha de seus conterrâneos, tudo começa com o suicídio de uma adolescente, e o tema é tratado como se fosse a morte de uma tartaruga, sem remorsos, sem dor. Aos poucos o cineasta abre as verdades sobre aquela casa, pretende deixar o público revoltado. A troco do quê, me pergunto? Sim, sabemos que essa absurda realidade existe, mas será que a Grécia é infestada de famílias desse tipo? E realmente precisamos morrer assistindo a um único formato de cinema, e eles acham que só usar longos planos-sequencia são garantia de umbom cinema? Haja paciência para esse cinema grego dos festivais.

comentários
  1. Carlos Farias disse:

    Não conheço essa onda de filmes gregos, então só posso me guiar pela comparação de filmes que vi na Mostra. Achei esse um dos mais bem filmados e amarrados narrativamente dos que vi. A habilidade para filmar dentro de espaços pequenos lembra coisas do Haneke e apresentar quem é quem na familia e sua rotina paulatinamente interessante. Quando começou a parte mais chocante cheguei a achar desnecessário, mas está tudo dentro das motivações internas que foram construídas para o filme. Engraçado que muitos elementos da história lembram a peça/filme Os Sete Gatinhos do Nelson Rodrigues.

    Curtir

    • Olá Carlos,

      Tudo começou com Dente Canino, aliás o diretor Yorgos Lanthimos é o líder desse grupo. Alpes, Attenberg, e agora Miss Violence são pequenas (quase nada) variações do mesmo estilo, e o mesmo tema (tem sempre aliciamento ou abuso sexual infantil, famílias tortas e essa câmera que copia Haneke, mas não chega perto da genialidade do austríaco).

      Curtir

  2. […] • Miss Violence, de Alexandros Avranas […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s