Eu , Você, Ele, Ela

Publicado: dezembro 1, 2013 em Cinema, Domingo de Clássicos
Tags:

euvoceeleelaJe, Tu, Il, Elle (1976 – FRA/BEL) estrelaestrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinza

Desvendar o título é uma forma de desvendar a proposta e a própria diretora. Chantal Akerman é a própria protagonista que escreve a alguém, enquanto entediada muda móveis de lugar e come um pó, como se fosse criança. Se Chantal é o eu, você poderia ser o próprio público. Ele, o caminhoneiro, que no segundo segmento da história dá carona a Chantal, conversam sobre família, até se perceber os primeiros sinais do alto teor sexual do filme.

Na fase final surge Ela, a namorada, e nesse momento Chantal mergulha em cenas explícitas de erotismo, esfrega sua opção sexual e termina o ciclo provocador e experimental de sua proposta. É seu grito de liberdade, sua foma de expressão pura e ofensiva, falando abertamente quando poucos estavam preparados para tamanha liberdade e queda de filtros.

A simplicidade fílmica (poucos planos e falas, raros cenários) é outro trunfo, porém, na ansia de chocar e expor sua visão feminista, há uma repetição da proposta (que só o seguimento com o caminheiro consegue se resolver bem), como se os demais funcionassem melhor numa esposição de artista plástico.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s