Getúlio

Publicado: maio 5, 2014 em Cinema
Tags:, , ,

GetulioGetúlio (2014) estrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

Os 15 anos da Era Vargas são um período razoavelmente conhecido pelos brasileiros, os livros de escola são ênfase a essa fase de golpe de estado, constituições outorgadas e outros mandos e desmandos de Getúlio. Seu retorno à presidência não é muito lembrado, apenas citado. Esse é o período de observação de João Jardim. Antes, o filme se preocupa em pontuar um pouco, em primeira pessoa e narração em off, os feitos trabalhistas do presidente que mais governou o Brasil. Serão os últimos dias antes do suicídio do presidente, a crise de corrupção parece pouco, o roteiro prefere culpar o caso do atentado a Lacerda (Alexandre Borges) como o culpado pelo ato de Getúlio (Tony Ramos).

Detalhes do palácio do Catete, os pés ou as mãos do presidente, João Jardim tenta filmar todo o peso do mundo sob as costas do presidente. Às vias de ser deposto (aliás, o filme termina veemente acusando os militares de 54 de serem os mesmos de 64, portanto um golpe iminente), Getúlio se vê traído por todos, um presidente como Lula e seu mensalão, que não sabia de nada. Figuras históricas entrarão e saem de cena, desde os ministros militares, até Tancredo (então, Ministro da Justiça). Estão lá em vão, ou com o único intuito de fazerem os atos históricos virem a conhecimento do público. O filme é mesmo uma tentativa de criar a claustrofobia e o orgulho patriótico de Getúlio. Muito peso e pouca ação, Tony Ramos se esforça em se tornar parecido, o Catete filmado de maneira quase fúnebre, e o sono da madrugada mais tensa de sua vida são tentativas fugazes de reconstituir fatos, muito melodramaticamente. Nesse mar de aspirações surge Drica Moraes, na pele da personagem mais interessante, que com candura consegue se sobressair desse mar de parcialidade.

comentários
  1. Carolina Gatto disse:

    Assisti a esse filme assim que foi lançado. Tenho um único comentário: a trilha sonora é irritante – sempre a mesma música, que toca quase o filme inteiro, sem parar, variando somente o volume. Tirou minha atenção da tela, estragou o filme.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s