O Filho

Publicado: julho 1, 2014 em Cinema
Tags:,

ofilhoLe Fils (2002 – BEL) estrelaestrelaestrelaestrelaestrela_cinza

Outro típico dos trabalhos dos irmãos Jean-Pierre e Luc Dardenne, câmera na mão, planos fechados, muitas vezes na nuca dos personagens. Adolescentes-problema e imigrantes, e o usual naturalismo como estilo narrativo. O Filho é outro capítulo nessa história cinematográfica poderoso que os Dardenne andam construindo, através de um conto moral (ajudar a quem lhe fez um mau irreparável) os cineastas desenham uma narrativa claustrofóbica.

Resultado do próprio estilo, os planos fechados nos dão uma visão parcial, diminuta, tudo parece surpreender porque não se sabe o que está além da imagem. A marcenaria, a reação dos que estão fora do foco, e a implosão de sentimentos cuja fagulha pode desencadear numa erupção. Os Dardenne dominam a sensação de panela de pressão prestes a explodir, e o fazem com uma naturalidade espontânea, o controle dos comportamentos, o peso moral, um conjunto de elementos que, unidos, explicam comportamentos, e fazem todo sentido a essa história contida e emocionante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s