Sem Querer / Involuntário

involuntarioDe Ofrivilliga (2008 – SUE) estrelaestrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinza

Os elogios ao novo filme do sueco Ruben Östlund (Força Maior) no último festival de Cannes me levaram ao interesse de saber “qual é?” a do diretor, enquanto o filme não fica disponível para ser visto. Além do mais porque ele se tornou frequentador das mostras paralelas do festival francês, prova de que é uma aposta e está se destacando no cenário internacional.

Seu filme é uma tragicomédia, ácida por excelência, e narrada de forma rígida e destacada. Cinco histórias narradas de forma intercaladas, sempre sob um olhar clínico sob a sociedade sueca moderna. Todas as cenas são com câmera fixa, enquadramentos fora do comum (alguns deles nos pés, ou quase em esconderijos), e longos planos sem corte.

Em seu enfoque crítico Östlund vai desde a adolescência fútil de jovens bêbadas tirando fotos sensuais, à professora que testemunha outro professor agredido um aluno e acaba sofrendo do silêncio velado dos colegas. As demasi histórias seguem essas questões sobre o silêncio como proteção, do apego ao álcool conduzindo a falta de controle. Enfim, de uma sociedade repleta de hiprocisias.

Anúncios

Um comentário sobre “Sem Querer / Involuntário

  1. Pingback: Repercussão: Cannes 2017 |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s