O Duelo

odueloO Duelo (2015) estrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

Marcos Jorge volta com as comédias em tom de anedota, com protagonista como contador de histórias que atraem grande público. Baseando-se em Jorge Amado, o resultado final fica a léguas de distância do anterior: Estômago.  A distância abissal está no tom dos protagonistas. João Miguel e aquele jeito nordestino engraçado, aqui temos o português Joaquim Almeida como um comandante de navios e suas histórias de tom chamuscado, pausado, capazes de intrigar apenas os moradores daquela cidade minúscula, onde nada realmente acontece. Seu sucesso causa ciúmes no antigo homem-atração da cidade (José Wilker), e nasce esse duelo entre quem permanece como a celebridade do povo. As fragilidades vão do didatismo dos diálgos ao clichê dos romances que tentam encantar o público (sendo, ou não, verdades).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s