Nocaute

nocauteSouthpaw (2015 – EUA) estrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

A volta do boxe ao mundo do cinema. A estrutura é basicamente a mesma dos filmes do gênero, chegada ao ápice (título mundial), a queda catastrófica (financeira) e de confiança, e o retorno rumo à redenção. Guarda algumas diferenças ao mais celebrado do gênero, Rocky tem o charme desajeitado, a ingenuidade de um coração maior que a força de seu punch. O filme de Antoine Fuqua é uma modernização, do hip hop à ingenuidade agressiva, perde o humor e mergulha em cargas dramásticas mais profundas.

Tecnicamente, além de uma câmera que parece tomar murros dos boxeadores, a não utilização de contra-plongée no ringue, o resto é bastante semelhante. A aposta é toda em Jake Gyllenhaal e o peso da tragédia que arrebata sua vida. A perda da esposa (Rachel McAdams), o afastamento da filha, e o quase mendigar para o novo treinador (Forest Whitaker). É pouco, porque falta o charme, o romantismo da época áurea do boxe, e sobra a rigidez de um filme executuado para todos os públicos, violento e comportado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s