O Corredor

ocorredorKoridorius / The Corridor (1995 – LIT) estrelaestrelaestrelaestrelaestrela_cinza

Após sua primeira experiência de filmes com diálogos (Três Dias, interessante porém inferior ao seu primeiro trabalho), Sharunas Bartas retorna ao cinema sem diálogos. Na cidade de Vilnius, na Lituânia, uma legião de pessoas a travessa a cidade, a pé. Tempos de independência do país da União Soviética. Tendo por base um corredor, de um conjunto habiotacional, Bartas e sua câmera voyeur flagram o cotidiano da pobreza, os contrastes, a violência crua ligada a inocência infantil.

Uma garota com uma espingarda atira à queima-roupa em um passarinho, roupas no varal pegando fogo. Outra vez Bartas embaralha a narrativa com um conjunto de imagens, contínuas, porém soltas, aglutinadas de modo a formar esse retrato em preto e branco. Música, dança, alegria, de outro lado violência, solidão, desesperança. Intrigante como o filme começa com esses personagens fragmentados, para, em seu final, uni-los numa espécie de festa. Tão simples, mas tão divertida.

Anúncios

Um comentário sobre “O Corredor

  1. Pingback: Indie 2015 |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s