Certas Mulheres

certasmulheresCertain Women (2016 – EUA) estrelaestrelaestrelaestrelaestrela_cinza

Os que gostam do cinema de Kelly Reichardt já podem aumentar o grau de empolgação com seu novo filme, porque este espaço já o considera um dos bons destaques do ano. Sem perder aquele ar de western moderno que seu cinema exala constatemente, Reichardt narra em três histórias, quatro mulheres cujas vidas se cruzam direta e indiretamente, na pacata cidade de Livingston, Montana. Unidas, ela têm em comum, a fortaleza do protagonismo de suas próprias vidas, que impõe não só por sua independência, como pelo desejo (tanto profissional e econômico, quanto amoroso) como um dos pilares motivacionais de cada uma delas.

A primeira é a advogada (Laura Dern), que sofre com seu cliente machista, que não lhe dá ouvidos, e ela precisa se reinventar, além dos seus conhecimentos jurídicos, para cumprir suas obrigações profissionais e até seu orgulho de enfrentar o caso e o cliente, é um bom exemplo. Outro caso é o da mulher (Michelle Williams), que toma a frente das negociações, para adquirir o terreno onde pretende construir a nova casa para ela, seu marido e a filha adolescente. O marido é passivo, ela é quem toma todas as rédeas da situação.

Tomar as rédeas é o que faz a, até então tímida, fazendeira (Lily Gladstone) em sua obsessão romântica por sua professora, e recém-formada advogada (Kristen Stewart). Aliás, vale o parênteses de que é costume encontrar destaque para as três estrelas famosas do filme, e omitir o nome de Lily Gladstone, que talvez seja a grande interpretação, e o grande personagem da trama de Reichardt. Longe de arroubos dramáticos, decidida e contida, ela é guiada por seus instintos e Gladstone traduz todas a segurança, e as incertezas, de maneira límpida e forte.

A cada novo filme, Kely Reichardt consolida-se como um dos nomes fortes, e com pegada autoral própria, dentro da cena de cinema indie americano que foge dos cacoetes de uma cinema de losers geeks (nerds) que virou moda no Festival de Sundance. Reichardt é um dos poucos casos de um cinema indie com características suas, que fogem dessa cartilha, e trazem oxigênio e sustentação a uma cena indie além dos arquétipos de personagens que se repetem à exaustão. São quatro mulheres ditas comuns, em fatos realmente triviais, mas que colocadas sob uma perspectiva, apontam certamente a posição igualitária feminina, que o cinema tenta intensificar enquanto as injustiças da sociedade moderna ainda não teve coragem de corrigir.

Anúncios

2 comentários sobre “Certas Mulheres

  1. Pingback: Certas Mulheres — | O LADO ESCURO DA LUA
  2. Pingback: Top 25 – 2016 |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s