O Jantar

The Dinner (2017 – EUA) 

Era para ser algo nos moldes de Deus da Carnificina (deliciosa comédia de Roman Polanski), mas nas mãos de Oren Moverman, o jantar de dois irmãos e suas esposas, para discutir o que fazer após um grave incidente envolvendo seus filhos adolescentes, se torna uma colagem dos ressentimentos dos quatro personagens. É impressionante como o resultado final é desengonçado, desde a atenção dada a seus protagonistas (Steve Coogan domina quase tudo, com um personagem tão egocêntrico tanto quanto se faz de vítima). Enquanto sua esposa, mãe-protetora (Laura Linney), e o outro casal formado pelo politico dominador (Richard Gere), e sua esposa jovem e amorosa (Rebecca Hall) se tornam meros coadjuvantes dessa miscelânea de interrupções e passados resgatados.

Do caos, o filme perde o melhor, que seria desenvolver bem esses personagens, com a acidez que pudesse permitir a muitos se verem dentro da história. Mas não, não há espaço para nada além dessa artimanha de transformar o assunto familiar em jantar caótico, enquanto tentamos compreender um pouco dessa dificuldade de comunicação através dos olhos parciais de Coogan.

Anúncios