Ana, Meu Amor

Ana, Mon Amour (2017 – ROM) 

Após ganhar o Urso de Ouro com Instinto Materno, o cineasta Calin Peter Netzer está de volta. Dessa vez com os altos e baixos de um casamento. Embaralhando a linha do tempo, o romeno tenta dar outro peso à história, boa parte narrada através de visitas a terapeutas, e pelos flashbacks reconstrói os momentos de paixão, a crise depressiva dela, até a guinada no perfil de cada um deles após o casamento.

Bonito nos momentos mais íntimos, o filme não vai muito além dessa proposta de confundir para criar algo novo. O casal de intelectuais, que se conhece na universidade, funciona melhor quando ele está sob o controle da situação, totalmente entregue a tentar reerguer sua amada dos ataques de pânico. Curioso como o amadurecimento o deixa solitário, incapaz de compreender em que ponto o bonde passou, e ele perdeu as rédeas do que controlava.


Festival: Berlim

Mostra: Competição Principal

Prêmios: Contribuição Artística

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s