My Happy Family

Chemi Bednieri Ojakhi / My Happy Family (2017 – GEO) 

Trabalhar o dia todo, e quando se chega em casa, as obrigações estão apenas começando. Ainda tem que cuidar dos filhos e do marido, ouvir as reclamações da mãe, limpar, cozinhar, organizar. O filme da dupla Nana Ekvtimishvili e Simon Groß traz a coragem de uma mulher em romper com isso tudo, dar um basta na vida. Aos 52 anos, sem nenhum acontecimento específico, Manana (Ia Shygliashvili) causa espanto quando pega suas coisas, aluga um apartamento e se muda. Fica para trás toda a estrutura dependente, claustrofóbica e perturbadora de uma vida condicionada a servir

A coragem de romper com uma das maiores convenções sociais: a estrutura familiar. E assim, ter seu momento próprio, seu espaço. Abrindo assim a reflexão sob o quanto se sujeita e se explora, como se tal comportamento fosse uma obrigação de mão única, num processo cíclico de uma sociedade tão machista. Em tempos de discussões feministas acaloradas por igualdade e respeito, resta a geração anterior que ainda silenciosa assiste a esses movimentos, no caso dessa personagem, busca seu sossego, seu espaço.


Festival: Sundance

Mostra: World Cinema – Dramatic

Anúncios

2 comentários sobre “My Happy Family

  1. Pingback: Scary Mother |
  2. Pingback: My Happy Family (2017) – REFLETINDO COM O CINEMA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s