Greta Garbo Empoderada – A Carne e o Diabo | Rainha Cristina | Ninotchka

A Carne e o Diabo (Flesh and the Devil, 1926 – EUA) 

Rainha Cristina (Queen Christina, 1933 – EUA) 

Ninotchka (Ninotchka, 1939 – EUA) 

Pela oportunidade de, finalmente, descobrir um pouco do cinema de Greta Garbo, uma característica que dialoga muito com o que a sociedade vive em 2018: o empoderamento feminino. Pode ser que haja mais exemplos em sua carreira, mas partimos aqui de três exemplos, de como Greta, no cinema, construiu personagens fortes, marcantes e que se impuseram integralmente.

Ainda no cinema mudo, A Carne e o Diabo (sob direção de Clarence Brown) traz a amizade de dois amigos abalada pelo amor de uma mulher (Greta). De donzela indefesa à manipuladora irresistível, o filme nem a faz a protagonista da história, ainda assim é forte como sua presença domina as cenas, além desse poder de manipulação frente aos homens. O roteiro é corajoso, questiona lealdade x amor, verdade x conveniência, e guarda um final bem inesperado para esse triângulo amoroso.

Na cinebiografia da Rainha Cristina, da Suécia, o roteiro omite alguns pequenos detalhes, e é até compreensível para não chocar o público (dizem que era uma mulher muiti masculina, talvez até hermafrodita), os demais fatos são verídicos, inclusive a tímida insinuação de um romance lésbico, logo no início do filme. Assim, Greta é essa mulher a dominar um reinado, mas que não se casa por acreditar no amor e não nutrir verdadeiramente por nenhum dos possíveis candidatos à coroa. De um lado essa mulher forte, que enfrenta guerras e revoluções, de outro à frente do seu tempo, lutando pelo amor acima das convenções, por mais difíceis que algumas decisões sejam.

O amor também prevalece em Ninotchka. Pré-Segunda Guerra Mundial, três russos são mandados à Paris para vender jóias, e lá descobrem as maravilhas do mundo ocidental, por mais que morram de medo do chefe linha dura. Eis que surge, novamente, Greta, com sua personagem poderosa e que se impõe frente aos homens, ela era o tal chefe linha-dura. Depois o filme emplaca um romance que amolece o coração dessa mulher, é sim uma provocação ao jeito russo de ser, mas também uma posição forte de uma mulher em plena liderança.

Anúncios