A Festa | O Banquete

A Festa (The Party, 2017 – RU) 

O Banquete (2018) 

Filmes com jantares que tentam destruir personagens e trazer à tona segredos sórdidos são um prato cheio à mediocridade. Ainda estou à procura de um que valha a pena. Eis que, ao mesmo tempo nos cinemas, temos dois em cartaz. Na Inglaterra, Sally Potter expõe vergonhas e segredos da terceira idade burguesa: traições, desabafos entalados na garganta, e a mediocridade de diálogos, temas e situações que apenas tentam aumentar a dramatização, o que conseguem realmente deve ser enervar o público.

Daniela Thomas dirige O Banquete, faz referência ao recém-falecido editor-chefe da Folha, num momento dramático de sua vida, quando escreveu um editorial provocando o presidente. É um filme que tenta ser político, por mais que passe boa parte sob o medo de uma possível prisão, mas o efeito é bem diferente da proposta.

Na mesa de jantar alguns amigos comemorando o aniversário de casamento de amigos. Além da comida e dessa tensão latente, são servidos grandes doses de cinismo, hipocrisia e desprezo. Tudo exageradamente temperado com atuações over e situações aborrecidas, além dessa obsessão por sexo, aqui sempre no viés burguês. As convenções sociais elevadas à enésima potência, num claro exercício de não perceber que hora parar com tudo aquilo. Destaque para Caco Ciocler que começa como um advogado bêbado e vai se tornando uma figura tão indecifrável que talvez termine como um ser acelular.

Anúncios