Culpa

Den Skyldige / Guilty (2018 – DIN) 

Guarda muitas semelhanças com o sucessinho indie que se tornou Buscando… Não só por ambos terem sido lançados em Sundance, se o thriller americano é todo exibido através de câmeras de computador ou telas de dispositivos (celulares), com toda a trama transcorrendo diante de navegação na internet, o filme do estreante Gustav Möller também se concentra longe da correria dos fatos, num local, praticamente, imóvel.

Asger Holm (Jakob Cederbren) trabalha numa dessas centrais de emergência da polícia, em Copenhagen. Quase no fim do turno ele se depara com uma chamada de uma mulher sequestrada. A partir dai, o filme jamais sairá do foco nele, sua arma é o telefone, o banco de dados da polícia e persistência. Liga daqui, perseguição acolá, todo o suspense transcorre entre os telefonemas e os sons, muitos sons (choro, passos, gritos e sirenes da polícia).

A montagem, focalizando, seu rosto de diversos pontos, busca dinamismo, enquanto o roteiro tenta surpreender e agarrar a atenção do público. O filme é bem competente nesse ponto, mas falha um pouco em tentar trazer um drama particular do personagem para margear a trama do sequestro. De resto, vale imaginar a total impossibilidade de um filme deste tipo ser feito no Brasil, imagine a atualização e acesso rápido ao banco de dados com os telefones, endereço e propriedades de todos os cidadãos brasileiros.


Festival: Sundance 2018

Mostra: World Cinema Dramatic

Prêmio: do público

Anúncios

Um comentário sobre “Culpa

  1. Pingback: Festival do Rio 2018: dicas |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s