O Rio

Publicado: agosto 22, 2019 em Cinema
Tags:

Ozen / The River (2018 – CAZ)

Agora em seu terceiro filme, Emir Baigazin segue fiel as características marcantes de sua filmografia. Pelos temas, novamente partindo do prisma de crianças e adolescentes, bullying, conflitos, amadurecimento precoce e rivalidade. O Anjo Ferido trazia quatro contos, de diferentes jovens, em suas situações desse tipo. Mais vigorosa era sua estreia, Lições de Harmonia, com mais foco em bullying e e violência caseira. Não é diferente nessa história de cinco irmãos vivendo numa vila remota, longe de tudo e de todos. O pai nunca os levara ao rio, perto de casa, e a descoberta desencandeia a trama.

Agora podemos falar na questão visual, e Baigazin segue com seus planos que mais parecem fotografias belíssimas, um cuidado meticuloso com cada posicionamento de câmera, com cada ângulo que possa entregar a conjunção perfeita entre homem e natureza, as vezes flertando com a natureza morta de quadros de Paul Cézanne, em outras com o resplendor do encontro entre céu e rio. A trama em si pouco se desenrola além dos conceitos morais de crianças tão ingênuas, um deles desaparece e há o peso da culpa recaindo. Além disso, as interpretações não são nada naturais, quase sempre falam em posição estática (assim como os planos fixos permanentes). Ocasionando assim, em mais um filme lindo, mas que não instiga.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s