Sete Anos em Maio

Publicado: junho 19, 2020 em Cinema
Tags:

Sete Anos em Maio (2019)

Penumbra e violência. “Vivo, morto, morto, vivo”, não é apenas uma representação teatral proposta na segunda parte do média-metragem dirigido por Affonso Uchôa, mas muito do estado de espírito que desemboca do depoimento de Rafael (que constitui a primeira parte). Ele que trafega pela sociedade, como um zumbi na marginalidade, no vício das drogas, envolto ao mundo do crime, num sistema que parece não leh permitir possibilidade de fugir, mesmo se quisesse. Uma bola de neve que cada vez mais o mergulha na desemperança.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s