Posts com Tag ‘Andreas Dresen’

Als wir träumtenAls Wir Träumten (2015 – ALE) estrelaestrelaestrela1_2estrela_cinzaestrela_cinza

Andreas Dresen parte de um drama sobre um paciente terminal de câncer (Parada em Pleno Curso), para a vida de um grupo de jovens amigos arruaceiros da Alemanha Oriental, nos primeiros anos de unificação da Alemanha. A inquietude punk, a disputa entre gangues ou pelo amor de uma garota, a vida entre sexo, drogas e música eletrônica. O amadurecimento através da anarquia. O filme brinca entre o tempo, o período mais jovem, e a fase ainda criança do grupo. A dificuldade de relacionamento com cada pai, e do próprio lado Oriental em se integrar. O filme vive de uma irregularidade que Dresen não consegue controlar entre tantos personagens e transformações, ainda que seja um retrato interessante de uma realidade que acontece por todos os lados.

Anúncios

Entre os dias 27 de Setembro e 6 de Outubro, o Rio de Janeiro terá a oportunidade de assistir a muitos dos principais filmes do ano, em mais uma daquelas maratonas cinéfilas que enlouquecem os fãs da Sétima Arte.

Mesmo não podendo estar presente ao evento, separo abaixo alguns links de filmes que fazem parte da seleção do Festival e que já foram comentados por esse blog:

Another Year, de Mike Leigh ****

César Deve Morrer, de Paolo e Vittorio Taviani ***

Elefante Branco, de Pablo Trapero **1/2

Elena, de Andrei Zvyagintsev ***1/2

Hemingway & Gellhorn, de Philip Kaufman **

Hysteria, de Tanya Wexler **

Parada em Pleno Curso, de Andreas Dresen ***

Halt auf freier Strecke / Stopped on Track (2011 – ALE) estrelaestrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinza

A primeira cena é no consultório médico. O casal recebe a notícia do câncer inoperável dele, e decidem que ele ficará em casa nas últimas semanas de vida, aproveitando cada minuto com a família. O diretor Andreas Dresen flerta muito com o Dogma 95 de Lars Von Trier e cia. Seu filme é uma tortura quase documental já que tudo está relacionado ao dia-a-dia da doença, dores, morfina, radioterapia, dor, vomito  (doloroso assistir a tanto sofrimento). Sim, você pode estar se perguntando pra que assistir a um filme desses? Eu também não sei explicar, mas se você se propôs a assistir, vai sofrer com essa família. Ver a dor de perto, até os minutos finais, sem melodramas. O sofrimento puro, e isso também, é uma forma de fazer cinema, que saiu vencedor do Um Certain Regard de Cannes.