Posts com Tag ‘Angie Dickinson’

onde-comeca-o-infernoRio Bravo (1959 – EUA) estrelaestrelaestrelaestrelaestrela

É muito mais do que a história de um xerife (John Wayne) enfrentando um criminoso e seu grande bando, com um bêbado (Dean Martin) e um velho (Walter Brennan). Howard Hawks mescla o western e o cinema clássico americano, entre a trama e os planos americanos, conta do cotidiano das pequenas cidades do velho oeste, faz um belo retrato de todo esse universo.

Sensação de ser incansável assistir ao xerife se envolvendo com a atrevida jovem (Angie Dickison), ou o ritmo divertido dos donos mexicanos do hotel, e principalmente os dramas do amante abandonado que levam seu parceiro a cair na bebida. A “novela” criada por Hawks tem as pitadas de terra batida e disparos, mas longe dos cavalos, se concentra nas miudezas do vilarejo, na relação entre os personagens, e em embates agitados como num jogo de xadrez entre xerife e bandidos.

cacadahumanaThe Chase (1966 – EUA) estrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

É um filme sobre descontrole, sobre justiça com as próprias mãos. E também sobre cidades pequenas e as relações entre magnatas e governo, rabo preso, corrupção (não necessariamente financeira). Bubber Reeves (Robert Redford) fugiu da cadeia, com outro presidiário. Na fuga, seu companheiro acaba matando um homem. Bubber passa a ser perseguido, não só  pela fuga, como pelo assassinato. Seu destino de fuga é sua cidade natal, em busca da guarida de sua esposa (Jane Fonda), e seus amigos. As noticias correm rápido, e após uma noite de muita bebedeira a população decide ir à caça de Bubber. Querem justiça, a todo custo, passando por cima de qualquer coisa, inclusive da lei.

A esposa tem um caso com Jake Rogers (James Fox), antigo amigo de infância de Bobby, e filho do magnata da cidade Val Rogers (E. G. Marshall), que parecer ter responsabilidade na prisão de Bubber. O Xerife Calder (Marlon Brando) vive uma fase de baixa credibilidade, a população questiona seu comportamento muito próximo ao do magnata. Caçada Humana foi grande sucesso na época, um grito de libertação destemperado. O roteiro me parece tão irregular, a direção de Arthur Penn de altos e baixos. Robert Redford é um fugitivo que mal aparece, Marlon Brando faz muita careta, e exagera na cara de mal. Jane Fonda e James Fox são mal utilizados, e ainda há uma mulher libertina (Janice Rule) sem nenhum propósito na história. Cenas como a da festa na casa dos Stewart e principalmente a final são horríveis. Quem está bem no filme é Angie Dickinson como a esposa do xerife, Robert Duvall também convence no papel do homem fraco e impotente.