Posts com Tag ‘Elia Kazan’

A Letter to Elia (2010 – EUA)

O que Martin Scorsese promove aqui (em co-direção com Kent Jones) não é bem um documentário sobre o cineasta Elia Kazan, muito mais uma carta, uma declaração, uma maneira de mostrar sob a visão dele a importância de Elia Kazan, a força de sua obra e o quanto ela mexeu com a visão cinematográfica de Scorsese. Um olhar bem delicado e pessoal sobre a vida e obra, principalmente seus filmes mais poderosos como Vidas Amargas e Sindicato dos Ladrões, até a fase negra com o comunismo, e todos os acontecimentos que o deixaram marcado até o fim da carreira. Scorsese narra e fixa suas observações, seus sentimentos, um filme bonito porque Scorsese parece ali, ao seu lado, como se estivesse numa roda de amigos e o assunto tivesse vindo por acaso.

On the Waterfront (1954 – EUA) estrelaestrelaestrelaestrelaestrela

Denúncia da corrupção no sindicato dos estivadores dos EUA, negócios ilícitos e a maneira violenta como eram tratados os delatores do sistema. A abordagem da temática, e a forma crua como é colocada, são os pontos fortes do filme, o controverso diretor Elia Kazan expõe os fatos de maneira direta e sem rodeios. Os crimes (ou cala-bocas) são executados sem pestanejar, como sendo amplamente necessários para o bom funcionamento do sistema. Kazan é exímio em sua arte, usando a câmera com dinamismo. Mesmo passados cinqüenta anos, o tema continua tão próximo da realidade.

Marlon Brando é a chave do sucesso, seu boxeador rude apaixona-se, e passa a lutar com coragem contra um grupo perigoso colocando em risco à vida das pessoas ligadas a ele. Diferentemente do que acontece nos filmes de hoje, Kazan e Brando não precisam abusar das cenas de luta para demonstrar seus argumentos, com diálogos enxutos e personagens marcantes o talento é privilegiado.

Eva Marie Saint aparece com fibra e doçura, uma garota simples e determinada que se apaixona por alguém que não sabe se pode confiar. O drama dos estivadores é colocado de uma forma honesta, a luta para conseguir o emprego é diária, são jornadas difíceis para buscar seu sustento e às vezes passam-se dias sem uma oportunidade de emprego.

Algumas cenas entraram para o rol dos maiores clássicos do cinema, porém a que chamou minha atenção não é das mais famosas, nesta cena os estivadores iniciam um tumulto, estão desesperados para conseguir as senhas que lhes garantiriam o trabalho do dia. O maldoso distribuidor joga-as na multidão para que eles briguem para pegá-las. Sindicato de Ladrões é uma crítica dura, um golpe seco e sem constrangimentos.