Posts com Tag ‘Geoffrey Rush’

amennaqueroubavalivrosThe Book Thief (2013 – EUA) estrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

Realmente não compreendo como tantas pessoas ainda estão interessadas em histórias como essa. Segunda Guerra Mundial, perseguição aos Judeus, e crianças fofas que observam o mundo sem entender o que está se passando. Outro best-seller que no cinema não tem vida, nem identidade, apenas uma história contada para emocionar, com trilha sonora melancólica e algumas cenas no melhor estilo novela das oito.

O diretor é Brian Percival, mas poderia ser A, B ou C, tanto faz, já que não há nenhum perfil cinematográfico característico. Daqueles telefilmes que com o apelo comercial ganham maior orçamento, alguns atores conhecidos (Geoffrey Rush e Emily Watson) e lotam salas de cinema com os leitores ávidos dessa cultura rasa de massa. O Menino do Pijama Listrada, O Caçador de Pipas, já podemos batizar um novo gênero cinematográfico para essas bombas todas.

amelhorofertaLa Migliore Offerta (2013 – ITA) estrelaestrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinza

Volta de Giuseppe Tornatore ao suspense (dramático), e que, surpreendentemente, passou meio despercebido desde seu lançamento. Por mais que tenha potencial comercial por seus elementos básicos e o apelo de atores conhecidos. O roteiro conduz Geoffrey Rush há mais um papel de um homem fino e coloquial, desta vez um antiquário. Um roteiro que brinca com a curiosidade e a adoração às formas femininas, o leiloeiro não pode ver a jovem que o contrata para cuidar da herança dos pais, a curiosidade que o consome, cega.

Usando os argumentos básicos do genero, Tornatore atrai a curiosidade pela própria necessidade instintiva de Virgili, que se confessa com um amigo (Jim Sturgess) expondo as fragilidades de um homem, até então impenetrável.  Mistério, romance, arte, milionários excêntricos, um bar com uma anã enigmática, Tornatore cria pequenos elementos que tiram o foco, liberando sentimentos aprisionados e apontando fraquezas camufladas.

acasadacolinaHouse on Haunted Hill (1999 – EUA) estrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

Durante a festa de aniversário da esposa (Famke Janssen), numa casa em uma colina, que é um hospício desativado, um milionário (Geoffrey Rush) decide fazer um jogo. Os cinco convidados passariam a noite naquela casa, e quem saísse vivo, levaria um cheque de 1 milhão de dólares. Obviamente que a casa é mal assombrada, o hospício servia de centro de experiências (um centro de carnificina), até que houve uma rebelião entre os internados que quase todos morreram.

Remake de A Casa dos Maus Espíritos, de 1958, esse fita de terror dirigida por William Malone é um equívoco completo. Começa pela lista de convidados, misteriosamente, alterada pela casa. E enquanto os convidados tentam sobreviver aos fantasmas e achar uma saída, a esposa quer livrar-se do marido e ficar com a herança. O roteiro é ridículo de tão medonho, não há nenhuma sequencia de clímax. Fantasmas que só aparecem em câmeras de vídeo, gente que morre, mas não morre. Um festival de bobagens, e susto que é bom? Nada.