Posts com Tag ‘Gregory Hoblit’

altafrequenciaFrequency (2000 – EUA) estrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

A ponte entre passado e futuro. A oportunidade de alterar o passado, criando assim um novo futuro. E se você também tivesse a chance de mudar alguma coisa que te incomodou? Basta enfrentar as novas consequências. Suspense dirigido por Gregory Hoblit, cujo nome tem crescido em Hollywood. Dentro do padrão comercial de sempre, até tem filme amarrado, num roteiro estruturado, com doses consistentes de suspense e emoção.

Na trama, John Sullivan (James Caviezel) é um policial em crise com a esposa. Ela (Elizabeth Mitchell) o abandona, e seu amigo Gordo (Noah Emmerich) vai consolá-lo. Mexendo em algumas velharias, eles encontram um rádio antigo do pai de John (Dennis Quaid). A surpresa é que, ao ligar o rádio, eles conseguem contato com o pai, que está trinta anos no passado. Após perceberem realmente a situação, digamos… inusitada. John avisa ao pai que ele morreria em um incêndio em poucos dias. Frank é um bombeiro corajoso e tem prazer em seu ofício, durante o fatídico incêndio, ele se lembra do aviso, e acaba escapando ileso, e mudando completamente o futuro dele e dos à sua volta.

possuidosFallen (1998 – EUA) estrelaestrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinza

O detetive John Hobbes (Denzel Washington) ficou famoso após capturar um serial killer (Elias Koteas). Instantes antes de morrer, na câmera de gás, o condenado cantarola uma canção que Hobbes começa a ouvir insistentemente nas ruas. Crimes voltam a ocorrer da mesma forma como o serial killer agia, o verdadeiro assassino ainda está a solta. Seu nome é Azazel, um espírito do mal que troca de hospedeiro com um simples toque ou pelo ar (e sobrevive mesmo que o corpo morra).

Nas investigações Hobbes encontra ajuda de Gretta Milano (Embeth Davidtz), professora de teologia e filha de um antigo detetive que morreu vítima do mesmo espírito. Juntos investigam o mistério, enquanto Azazel passa a perseguir o detetive, armando-lhe uma cilada. Cenas de alta tensão, perseguições emocionantes, eis o ponto alto do filme e do trabalho do diretor Gregory Hoblit. Um suspense sobrenatural com momentos de tirar o fôlego, típico caso do universo do seriado Arquivo-X. Porém, cheio de irregularidades, de lado positivo os truques de câmera para retratar Azazel, de outro lado as falas em off exageradas de Denzel e a incapacidade do roteiro em fugir dos clichês do gênero.