Posts com Tag ‘James Garner’

 

cowboysdoespacoSpace Cowboys (2000 – EUA) estrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

Clint Eastwood dando seus pitacos na corrida espacial. Tudo começa em tom de comédia, de maneira descontraída, com a necessidade da NASA em contar com astronautas da década de sessenta. O início é excelente, mostrando o princípio dos estudos espaciais americanos, e da equipe Daedalus, a fotografia com tons azulados oferece um contraste interessante. Quarenta anos depois, a NASA precisa resgatar um satélite de comunicação russo que irá se chocar com a Terra, ou consertá-lo no espaço. O projeto é muito antigo, e os engenheiros de hoje não conseguem entender o sistema. O diretor da NASA, Bob Gerson (James Cromwell), é obrigado a procurar seu antigo desafeto, Frank Corvin (Clint Eastwood), que foi quem projetou o satélite (que teria sido roubado pela KGB).

Resumindo, o satélite não pode ser resgatado, e Corvin só aceita ajudar, se ele mesmo for ao espaço consertá-lo, juntamente com sua antiga equipe Daedalus, de astronautas sexagenários. A chantagem é aceita desde que todos passem nos testes físicos. Empecilhos inesperados e o clima de única chance de salvar o mundo, Clint se envereda pelo nacionalismo exacerbado, a arrogância do cinema americano de teimar em sempre ser a solução da humanidade. Há ainda o romance descabido, e aquele humor prazeroso ganha o amargo dos últimos 30 minutos dos veteranos heroicos protagonizando um western espacial. Ficando apenas as boas lembranças de Donald Sutherland roubando a cena.

Anúncios

assassinatoemhollywoodSunset (1988 – EUA) estrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

Bruce Willis vivia aquela fase em que acreditava que poderia entrar em qualquer filme, até mesmo numa comédia, com ecos de western, dirigida por Blake Edwards. Ele encarna um grande astro dos faroestes de Hollywood, bon-vivant por excelência. Um produtor (Malcolm McDowell) quer levar aos cinemas a vida do delegado Wyatt Earp (James Garner) e o contrato como consultor técnico da produção.

Como a tônica geral dos filmes de Edwards são o caos humorístico, a trama arruma um assassinato de uma dona de boate, e coloca o ator e o delegado investigando o assassinato. Suspeitos inocentes (Dermot Mulroney), gangsteres, policiais corruptos, confusão por todos os lados. Se não fosse James Garner dar uma pequena aula de classe e requinte, o resultado seria ainda mais sofrível e afetado. “Foi tudo mais ou menos assim, tirando uma mentira ou outra…”