Posts com Tag ‘Jaume Collet-Serra’

Águas Rasas

Publicado: agosto 30, 2016 em Cinema
Tags:,

aguasrasasThe Shallows (2016 – EUA) estrelaestrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinza

Saudades de um bom filme de tubarão, predador de humanos de forma implacável, com alguns daqueles momentos angustiantes da total incerteza do ataque (ou do momento exato). O diretor Jaume Collet-Serra já tem seu nome solidificado na indústria, suas assinaturas entre o terror e o cinema de ação tem público cativo e dificilmente decepcionam. Um cineasta virtuoso que sabe entregar o que seu público espera, principalmente sequencias de tirar o fôlego.

A trama aqui é coadjuvante, apenas uma desculpa (dessa vez com seus momentos piegas) para levar a protagonista (Blake Lively, que não vai muito além de um biquini) à praia. Ilhada numa pedra, ferida, e com um tubarão rondando a praia após ter encalhado uma baleia (grande sacada do filme para manter o tubarão ativo e no local), Nancy vive seu drama desesperador de tentar enganar para escapar do tubarão implacável. Collet-Serra é bem competente em manter o clima tenso, e em criar imagens impactantes (como no sangue escuro invadindo o mar azul numa tomada aérea).  Ao contrário da maioria dos filmes, o foco é o meio, o diretor está sempre atento aos caminhos para conduzir o recheio dessa história, deixando que início e fim sejam apenas apostos. Mas, afinal, o público está ávido mesmo pela capacidade de Collet-Serra em entreter com tensão angustiante e isso ele entrega de forma eficiente.

Sem Escalas

Publicado: março 10, 2014 em Cinema
Tags:, ,

semescalasNon-Stop (2014 – EUA) estrelaestrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinza

 

Para vender a trama, o herói é quase transformado em vilão, também nasce um projeto de romance (com Julianne Moore), e uma espantosa de capacidade de criar situações cuja realidade só cabe dentro do próprio filme. É uma festa, Liam Neeson pinta e borda, a gravidade parece estar sempre ao seu favor, por mais que o mundo esteja contra ele. Praticamente uma aula de investigação, com o peso do mundo sob suas costas, dentro de um avião voando pelo Atlântico, tiros e bomba-relógio,lutas de faca, traições, ocorre de tudo.

Apesar desse exagero o thriller de Jaume Collet-Serra é bem eficiente. Uma série de assassinatos ocorrendo a cada 20 minutos, dentro daquele avião, e o filme consegue esconder o engenhoso serial killer até os momentos finais. Um roteiro enxuto e bem tramado dessa forma não é tão fácil de ser encontrado. Tirando isso, o que resta? Um herói típico (Liam Neeson) e algumas peripécias absurdas.