Posts com Tag ‘Jessica Biel’

ovingadordofuturo2012

Total Recall (2012 – EUA) estrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

O diretor Len Wiseman, quando não está envolvido na série de filmes Anjos da Noite, está tentando resgatar algum filme dos anos 90. Foi assim que ele cometeu Duro de Matar 4.0, e entristeceu os fãs da trilogia. Sua nova tentativa foi com o clássico de Paul Verhoeven, estrelado por Arnold Schwarzenegger.

Usando o mesmo personagem (dessa vez com Colin Farrell), mesmos conflitos, e a mesma visão pessimista de futuro. Mas, alterando o roteiro para que houvesse algo particular e não mera repetição de cenas, Wiseman até nos convence de dar crédito ao agente cuja memória fora apagada.

 ovingadordofuturo2012_2A essência intacta só mesmo nas características do personagem, a questão central no anterior (o controle do ar, do oxigênio) é alterada para uma simples necessidade de invasão a outro país. E com atrizes apagadas (Jessica Biel), ou caricatas (Kate Beckinsale, esposa do cineasta), resta um Farrell escapando de tiros, num mundo futurista, e uma série de explosões desenfreadas facilmente esquecíveis ao término da projeção.

hitchcockHitchcock (2012 – EUA) estrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

Na caricata visão oferecida pelo diretor Sacha Gervasi, os produtores de cinema são aqueles homens durões cujos diretores expulsam dos sets. Ao invadir, não só, toda a história das filmagens de Psicose, mas principalmente da vida do casal Alfred (Anthony Hopkins) e Alma (Helen Mirren), Gervasi abre as portas a universo riquíssimo da curiosidade humana – o por dentro da coisa.

É a figura de Hitchcock tão repleta de charme, e suspense, a capaz de dosar humor e toda essa deliciosa curiosidade por trás do mito, de seus métodos, e de como um filme pode se tornar um clássico – mesmo contra tudo e todos. Porém, o diretor prefere perder tempo com a amizade de Alma e um escritor – mote para o ciumes de Alfred. O adentrar as intimidades do casal oferece um quê de ingênuo, a ponto de transformar o mestre do suspense num garoto mimado.

Por outro lado, há a cena do banheiro, que ganha ares de ator coadjuvante na trama (talvez mais importante que Scartett Johasson), com seu clímax na primeira apresentação nos cinemas. Enfim, é um filme de momentos, principalmente pelo humor hitchcockiano, mas de um todo tão raso e tolo que a biografia não faz jus à curiosidade que o bonachão desperta.