Posts com Tag ‘Jonás Trueba’

La Reconquista (2016 – ESP) 

O quarto longa-metragem do cineasta Jonás Trueba (indicado a 13 Goyas, e que ficou sem prêmios) dialoga muito com seu trabalho de estreia (Todas As Canções Falam de Mim), e pode ser facilmente comparado à Antes do Por do Sol, de Richard Linklater. Tem no amor o eixo central de sua narrativa, durante uma noite de conversa de um reencontro de um ex-casal.

Ambos na casa dos trinta anos, ela se mudou para Buenos Aires, ele vive com a namorada em Madrid, e cruzam a cidade relembrando o relacionamento de quando tinham quinze anos. Trueba está testando o emocional de cada espectador, o peso do primeiro amor, as frustrações amorosas de pessoas mais maduras, a clara tentação de resgatar algo que estava hibernando, ou morto. Assim como seus personagens, o diretor amadureceu como personagem, usa melhor os recursos narrativos, mas mantém o espírito do amor pungente, e sabe dialogar com quem gosta de acompanhar os encontros e desencontros que a vida proporciona.

Todas las Canciones Hablan de Mí (2010 – ESP) estrelaestrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinza

Dessas histórias que, ou já vivemos, ou cujos personagens conhecemos tão bem, porque são como nossos amigos que desabafam os desencontros amorosos. O jovem cineasta Jonás Trueba se coloca como um amigo do público. Ao final do filme, Ramiro (Oriol Vila) será praticamente um amigo seu, de tão íntimo de seus sentimentos e aspirações estaremos. Um namoro que terminou, por parte dele o amor segue presente. São meses e meses dele digerindo essa tristeza, naquela busca em virar página, sem que se faça realmente esforço. No fundo, tudo que mais se quer é voltar, reviver tudo aquilo, e o que mais estiver pela frente.

Há relacionamentos que se encerram cuja adaptação à vida fora dele não é nada fácil. Se você viveu algum assim, também vai se identificar com Ramiro, e com a simplicidade de suas emoções. Jonás Trueba apenas expõe as emoções de seu personagem, assistimos os relampejos de uma recuperação, a saída de um estado de inércia, a vida continua, o coração voltará a bater acelerado por alguém, num futuro próximo ou não. Isso não importa, quando você está nessa fase, todas as canções parecem, realmente, terem sido escritas a nós mesmos. Como vai terminar a história de Ramiro? Bem, esse Ramiro em especial termina como Trueba quis (e numa cena de mais de 3 minutos, sem cortes, das coisas mais lindas e simples que se possa imaginar, mas só ganha dimensão se você assistir ao filme todo), mas poderia ter terminado de outro modo, assim como terminou a do Ramiro que existe dentro de mim ou de você.