Posts com Tag ‘M. Night Shyamalan’

sinaisSigns (2002 – EUA) estrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

Um teste de fé! O conteúdo religioso é muito mais presente do que os trailers poderiam vender. Um suspense testando a fé de um homem, que deixou de acreditar. O roteiro usa o suspense, a questão alienígena como pano de fundo, colocando a prova a fé do protagonista, um antigo padre que deixou de acreditar em Deus após o acidente automobilístico fatal de sua esposa.

Graham (Mel Gibson) mora com seu irmão Merril (Joaquim Phoenix), e seus filhos (Rory Culkin e Abigail Breslin) numa fazenda que, certa manhã, estranhos desenhos aparecem no meio do milharal. As plantas estão todas deitadas de maneira uniforme, impossível ser feito à mão, e sem emitir algum barulho. Os animais começam a ficar violentos, tanto em sua fazenda como na da vizinhança. Em poucos dias, a TV começa a mostrar desenhos semelhantes, em várias plantações, ao redor do mundo. Além de imagens de estranhos corpos iluminados no céu. Graham tenta proteger seus filhos das informações aterrorizantes, mas o assunto fascina a todos, não só em sua casa. A expectativa quanto à intenção dos extraterrestres e a espera de uma possível invasão toma conta dos noticiários, o assunto monopoliza conversas em bares, e onde mais se possa imaginar.

M. Night Shyamalan volta a perder parte do prestígio conquistado com o fenômeno O Sexto Sentido, seu novo trabalho cai no colo da decepção. Começando pela pieguice de sua tentativa de imitar o monstro do suspense Alfred Hitchcock. Seu filme é lento, quase como um filme de arte, os close-up’s exagerados, e o tema do sobrenatural acaba pouquíssimo aprofundado. Mesmo a questão da fé não é tão intrigante assim. Shyamalan perde mais tempo com personagens assistindo noticiários e lendo livros sobre Et’s. Os últimos 15 minutos dão novos ânimos ao filme, mesmo que não o bastante para recolocar o filme nos eixos, porque na memória ficam algumas das cenas ridículas como a que mostra Mel Gibson e Joaquim Phoenix, sentados em frente à TV, com as mãos nos joelhos, exatamente na mesma posição, assustados com o que vêem na tela (parecia mais filme de comédia besteirol).

 

 

osextosentidoThe Sixth Sense (1999 – EUA) estrelaestrelaestrelaestrelaestrela_cinza

O filme que revelou o indiano M. Night Shyamalan ao mundo do cinema. Haja frisson elevado a enésima potência por conta do surpreendente desfecho, a arrebatadora reação da plateia com o final que praticamente pede uma revisão imediata do filme, tamanha surpresa que a engenhoca do roteiro chega a causar. Detalhes revelados de maneira tão meticulosa, o clima de suspense até perde espaço dentro dessa surpresa colossal que a originalidade de Shyamalan perpetuaram.

Malcolm Crowe (Bruce Wilis) é um renomado psiquiatra infantil, na noite em que foi condecorado com um prêmio pela prefeitura da cidade, ele e sua esposa são surpreendidos, a casa foi invadida por um antigo paciente de Malcolm. O homem estava completamente perturbado, e culpando o psquiatra por não ter conseguido curá-lo. No caos instaurado, ele acaba atirando em Malcolm e suicidando-se  em seguida. Passado um tempo, o Dr Crowe tem um novo caso. É o garoto Cole Sear (revelando Haley Joel Osment), que age muitas vezes de forma estranha, é demasiadamente reservado, e não anda bem na escola. Malcolm vê grandes semelhanças entre o caso do garoto e do suicida, e promete a si mesmo ajudar Cole. Enquanto isso, em casa enfrenta problemas de relacionamento com sua esposa. Cole guarda um grande segredo a célebre frase “eu vejo gente morta”, e misteriosamente aparece machucado diversas vezes. Cartas à mesa de uma das grandes sensações do cinema de gênero nos últimos anos, e de quebra um show de interpretação do garoto Haley Joel Osment.