Posts com Tag ‘Oren Moverman’

The Dinner (2017 – EUA) 

Era para ser algo nos moldes de Deus da Carnificina (deliciosa comédia de Roman Polanski), mas nas mãos de Oren Moverman, o jantar de dois irmãos e suas esposas, para discutir o que fazer após um grave incidente envolvendo seus filhos adolescentes, se torna uma colagem dos ressentimentos dos quatro personagens. É impressionante como o resultado final é desengonçado, desde a atenção dada a seus protagonistas (Steve Coogan domina quase tudo, com um personagem tão egocêntrico tanto quanto se faz de vítima). Enquanto sua esposa, mãe-protetora (Laura Linney), e o outro casal formado pelo politico dominador (Richard Gere), e sua esposa jovem e amorosa (Rebecca Hall) se tornam meros coadjuvantes dessa miscelânea de interrupções e passados resgatados.

Do caos, o filme perde o melhor, que seria desenvolver bem esses personagens, com a acidez que pudesse permitir a muitos se verem dentro da história. Mas não, não há espaço para nada além dessa artimanha de transformar o assunto familiar em jantar caótico, enquanto tentamos compreender um pouco dessa dificuldade de comunicação através dos olhos parciais de Coogan.

Anúncios

Rampart

Publicado: dezembro 21, 2011 em Uncategorized
Tags:, ,

Rampart (2011 – EUA)

No filme anterior da parceria do diretor Oren Moverman e o ator Woody Harrelson – O Mensageiro– mudava-se a farda, não o personagem. É o mesmo desregulado, marginalizado, e cheio de orgulho, que, de alguma forma, vive na geração passada. Aqui a história trata de um policial durão, violento, linha-dura, aquele estilo antigo de resolver tudo e manter um “código de ética”. Ele divide a casa com suas filhas e suas ex-esposas, quase um harém onde tenta seduzi-las diariamente para divertimentos sexuais. Não consegue ali, parte para um bar até conseguir sexo. É tudo à moda antiga.

O filme trata dessa ladainha de sempre, acusações de violencia desnecessária, videos, decadencia. Se o estilo de Moverman pode ser notado, em praticamente o filme todo, travellings em 360, câmera na mão, angulos inusitados. A ladainha de sempre, com mais uma história repetida, afunda qualquer interesse que o filme pudesse alcançar, não passando de chavões batidos, com uma roupagem “autoral”.

O Mensageiro

Publicado: fevereiro 8, 2010 em Uncategorized
Tags:,
The Messenger (2009 – EUA)
Soldado ferido na Guerra do Iraque é destinado ao trabalho de informar familiares sobre a morte de seus entes na guerra. O exército considera que a informação deve ser dada ao vivo, por militares, e num curtíssimo espaço de tempo antes que a CNN ou algum site da internet chegue primeiro aos olhos dos familiares. Havia dois caminhos a percorrer depois de desenvolvida sua premissa dolorida e angustiante. A opção do filme, dirigido por Oren Overman, foi, infelizment,e a mais óbvia dentro do tema, optando pelo desequilíbrio dos ex-combatentes. Pela dificuldade de adaptação e pelas feridas que parecem nunca curar-se.
Sem exceções, as cenas em que os militares batem à porta das casas e transmitem a triste notícia causam assombro e destruição, cada um recebe a seu modo, sempre com uma tristeza sem fim. Esse mar de infelicidade refletido nos homens frustrados com o horror da guerra, com suas vidas em frangalhos após terem largado tudo para combater, são ecos dentro de almas que mais parecem queijo suíço, estatelados pela solidão, pelo abandono, pela falta de perspectiva. Um romance torto que não engrena, a perda do bom-senso, no fundo Overman (ex-combatente também) justifica comportamentos.