Posts com Tag ‘road movie’

Colegas

Publicado: março 5, 2013 em Cinema
Tags:,

colegasColegas (2012) estrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

Os problemas do filme são tão frustrantes, e evidentes, que a corajosa opção, por tornar, 3 jovens com Síndrome de Down, protagonistas de um filme (e ambos mandando bem na telona) vai por água abaixo. Marcelo Galvão começa não sabendo pontuar em que época se passa o filme. Telefones celulares e tudo ao redor deles faz parte dos dias atuais, mas o roteiro teima em colocar uma estética anos 70, um show de Raul Seixas no meio, licença poética é pouco.

Outro ponto é Lima Duarte resgatando Sassá Mutema (alguém se lembra da novela da professorinha, Salvador da Pátria?). Ele praticamente narra o filme todo, prova da desconfiança de Galvão em seu próprio filme e trabalho, já que não acredita que as imagens, por si só, falem com o público, contem o que se passa. E a narração, em tom de fábula, parece explicar tudo a uma criança de 2 anos (ok, talvez o filme tenha cuidado de atingir também os que possuem Síndrome de Down, e assim se enxergarem retratados na tela).

As refêrencias apaixonadas ao cinema (de Jules & Jim a Thelma & Louise) tentam dialogar com outro público. Enfim, é uma salada onde nada harmoniza com nada, e boas piadas e gags vão se perdendo pela transformação, em deliquentes, daquelas pessoas tão dóceis e amorosas, que ali não sabem o que estão fazendo, assim como quem está dirigindo isso tudo – os diálogos entre os policiais são os piores possíveis, praticamente zombam da inteligencia do público. Festival de Gramado, a cada ano, se supera, em premiar o que há de pior.

Modra – Mostra SP #3

Publicado: outubro 26, 2010 em Uncategorized
Tags:

Modra (2010 – CAN/ESLOVAQUIA)

A diretora Ingrid Veninger nos leva a pequena cidade de Modra, na Eslováquia, uma adolescente canadense irá visitar parentes nas férias e convida um garoto para substituir o namorado que acabara de romper a relação. Enquanto descobrimos se essa “nova” relação engata ou não engata, a cineasta nos leva ao cotidiano da pacata cidade, com leves resquícios da época comunista, um local bucólica, de vida tranqüila, ligada à natureza, aquela vida de tomar sorvete na praça no sábado á tarde. Filminho simpático, bonitinho, e só.