Posts com Tag ‘Shane Carruth’

Upstream Color

Publicado: junho 5, 2013 em Cinema
Tags:

UpstreamcolorUpstream Color (2013 – EUA) estrelaestrelaestrela1_2estrela_cinzaestrela_cinza

Lá vem Shane Carruth fundir novamente a cuca de seu público, com outro roteiro intrincado e complexo. Agora, com mais recursos, ele realiza um filme lindo, de imagens inebriantes, cortes rapidos para trazer dinamismo no ritmo e planos bem fechados trazendo o público para dentro da história.

Resumir a sinopse é tarefa ingrata, no fundo é uma grande história de amor de gente que sofreu um golpe extremamente planejado e agora está conectado a larvas e porcos. A engenhoca genética e as poucas peças do quebra-cabeças confundem o público enquanto se desenvolve um romance entre pessoas invadidas (corpo e mente), usadas, e que sentem um vazio na memória que não pode ser preenchido. Carruth não chega a ser tão brilhante quanto no anterior, mas ainda assim alcança resultados intrigantes.

Primer

Publicado: junho 4, 2013 em Cinema
Tags:

primerPrimer (2004 – EUA) estrelaestrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinza

O matemático frustrado Shane Carruth resolveu virar cineasta, gastou uma ninharia e sozinho produziu, editou, dirigiu, escreveu  e também atuou em sua história de ficção científica que não requer nada de efeitos especiais. Há muita proximidade com Pi (de Darren Aronofsky), principalmente na coincidencia da ligação com bolsa de valores, mas principalmente no ritmo de informações não-absorvidas pelo público.

Carruth dispara conceitos de física, matemática, dessa forma, aos leigos, aquilo tudo parece fazer sentido. É um jeito esperto de fazer funcionar a trama, rapidamente acreditamos que aqueles engenheiros construiram uma caixa que, mais tarde, descobrirão ser uma máquina do tempo.  A história deles segue, abordando principalmente controle do destino e alta ambição.

O importante é como o diretor conta essa história, com edição ágil, com movimentos de câmera que trazem altas doses de suspense, com total domínio do que, e do quanto, contar ao público. É um trabalho exímio, corajoso, meticuloso, e acima de tudo instigante.