Posts com Tag ‘Stanley Tucci’

spotlightSpotlight (2015 – EUA) estrelaestrelaestrelaestrelaestrela_cinza

O irregular cineasta Tom McCarthy (que no ano anterior cometeu a terrível comédia Trocando os Pés, com Adam Sandler), dessa vez consolida seu nome, da cena independente, com um dos principais aspirantes ao próximo Oscar. Baseado nos fatos reais de uma investigação do jornal Boston Globe, que desencadeou um escândalo gigantesco de padres pedófilos, o filme tenta entrar na redação do jornal e dar maior ênfase à corrida da noticia, do que ela propriamente.

É um estudo empolgante da garra com que jornalistas buscam a noticia, e a forma com que se relacionam a ela, enquanto as discussões entre editores formatam os próximos passos, o como seguir (que muitas vezes é totalmente diferente do que os jornalistas gostariam). Tom McCarthy é feliz em tratar simultaneamente noticia e jornalismo, uma profissão que tenta passar pela reformulação das eras da internet, e parecenem tão valorizada quanto outrora.

Esse resgate do profissional, principalmente o personagem de Mark Ruffalo, converge com o espirito investigativo, com a ânsia por mais, a insatisfação. Tudo resumido pelos planos e contra-planos, os diálogos acalorados, e as posições dúbias em muitos os casos. Se McCarthy pouco explora os verdadeiros interesses editoriais (deixa tímidas perguntas no ar), traz um retrato pulsante do que é o ser jornalista.

oquintopoderThe Fifth Estate (2013 – EUA/BEL) estrelaestrelaestrela1_2estrela_cinzaestrela_cinza

O WikiLeaks causou furor nos últimos anos, com um estilo de jornalismo próprio que permite o anonimato das fontes, o site se tornou uma poderosa arma de denuncia contra governos e grandes corporações. Uma ideia revolucionária. Códigos de conduta em Guantánamo, abusos militares no Afeganistão (vídeos de assassinatos absurdos), corrupção em bancos, o site criado pelo australiano Julian Assange (Benedict Cumberbatch) se tornou uma perigosa arma acusatória, o quinto poder que está acessível a qualquer um.

O roteiro foi escrito baseado em dois livros, WikiLeaks (dos jornalistas ingleses David Leugh e Luke Harding), e Os Bastidores do WikiLeaks, do ex-colaborador do site Daniel Domscheit-Berg (Daniel Brühl), e é uma confusão só. A quantidade de informações se mistura com a vida de Daniel e Assange. O filme é muito sob a visão do envolvimento de Daniel no WikiLeaks, e sua vida enquanto foi colaborador. O filme caminha entre o manter o namoro (Alicia Vikander), seu engajamento com a ideia, e sua entrega completa ao projeto de um Assange que parece um andrógino obcecado por sua criação. Bill Condon dirige em ritmo de thriller envergonhado, jorrando informações técnicasde informática num ritmo de fazer inveja a David Fincher e seu A Rede Social, porém longe de sua perspicácia. A relação com grandes grupos jornalísticos, a perseguição da CIA e FBI, Condon não consegue administrar tantas facetas, emaranhados e desperdiça o potencial da história de Assange e do WikiLeaks.