Posts com Tag ‘Stephen King’

Gerald’s Game (2017 -EUA) 

Realmente Stephen King voltou a ser moda. É a vez de Mike Flanagan, novamente numa produção Netflix, realizar versão de uma das obras do autor (provavelmente mais adaptado para os cinemas). Trata-se de um terror psicológico complicado de transpor num filme, as alucinações de uma mulher numa situação limite: algemada numa casa isolada e cujo marido (Bruce Greenwood) acaba de ter um enfarte.

Lembrança automática de 127 Horas, até porque a trama também resgata flashbacks da infância para dramatizar, ainda mais, a situação dela (Carla Gugino). Do comportamento inverossímil da mulher, ao passado de abuso que pouco parece acrescentar a situação desesperadora da heroína, o filme se equilibra na tentativa desse causar esse terror psicológico enquanto se coloca numa clara posição feminista de mulheres que encontram em seus casamentos os comportamentos hostis (como espelhos) que receberam de traumas infantis. Dessa salada ainda tem um cão faminto e traços de sobrenatural. Flanagan fez melhor com outra mulher presa em casa com Hush.

 

aesperadeummilagreThe Green Mile (1999 – EUA)  estrelaestrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinza

Outro livro de Stephen King adaptado aos cinemas, suas famigeradas tramas de suspense ficam de lado, mesmo que haja algo de sobrenatural, em detrimento ao melodrama puro, pragmático em temas cuja moral e os bons costumes são elevados a enésima potência. Humano, tem na bondade o alicerce para desenvolver temas como racismo, sentimentos puros, e a derrota da maldade e egoísmo frente o “bem” maior. Sim, é piegas ao extremo, mas o filme de Frank Darabont acerta em cheio a parte do público carente por questões universais e tão humanas.

O palco é uma penitenciária, e a narração, em flashback, feita por Paul Edgecomb (Tom Hanks), que bem velhinho já mora num asilo enquanto narra a incrível história que presenciou a uma amiga. Paul era o chefe da Milha Verde, setor de uma penitenciária onde ficavam os presos julgados, e condenados à cadeira elétrica. Paul sofria com suas infecções urinárias, até que um novo preso grandalhão chega, John Coffey (Michael Duncan) era acusado (injustamente) de estupro e assassinato de duas meninas brancas. Seu tamanho impõe respeita a todos, e a surpresa ficava ainda maior pelo grau de ternura e ingenuidade que conquistava a qualquer um. Com um dom sobrenatural, ele tinha o dom da cura, e num dos ataques infecciosos de Paul o detento oferece-lhe a cura.

A rotina da Milha era pacata, clima amistoso entre presos e agentes carcerários, exceto o agressivo e prepotente Percy Wetmore (Doug Hutchison). Até que começa a mudar com as visitas do ratinho Mr Jingles, que se torna bichinho de estimação de um detento. E também com as loucuras do perigoso bandido William “Wild Bill” Wharton (Sam Rockwell). Tanta passividade se torna uma panela de pressão prestes a explodir, e todos aqueles presos estão na reta final da cadeira elétrica.