Posts com Tag ‘Tom Hiddleston’

only-lovers-left-aliveOnly Lovers Left Alive (2013 – EUA/ING/FRA) estrelaestrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinza

O sempre hipnótico Jim Jarmusch vem com sua versão de romance entre vampiros. Algo mais platônico e contemplativo que o hype pop atual, um oceano separando o casal (Tom Hiddleston e Tilda Swinton). Eles dormem durante o dia e à noite falam pela internet, bebem sangue e admiram aspectos culturais humanos. A distância, a eternidade, o tempo é fatal a eles e essencial ao filme.

Jarmusch analisa comportamentos, dos mais equilibrados que buscam harmonia com a humanidade (com depressões e pensamentos suicidas) até a inconsequência da juventude (Mia Wasikowska). O amor é belo, a cumplicidade legítima. Jarmusch penetra na eternidade quase a tornando um martírio infernal que consome e desgasta, cujo amor parece ser a única salvação frente o tédio secular

Anúncios

Amor Profundo

Publicado: maio 14, 2013 em Cinema
Tags:, ,

amorprofundoThe Deep Blue Sea (2011 – EUA) estrelaestrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinza

The Deep Blue Sea, um dos títulos mais lindos que eu já vi para um filme. Remete a tristeza, melancolia, e sofisticação. Elementos que não faltam ao trabalho de Terence Davies. Rachel Weisz é essa mulher sofrida (atuação madura, contida mas carregada de pesar), troca o casamento seguro com um juiz pela aventura romantica e sexual com um piloto da aeronáutica britânica. Os tempos são de pós-Segunda Guerra.

Impossível não chegar semelhanças com o estilo de Wong Kar-Wai, a fumaça dos cigarros, a mulher caminhando por um corredor, o tema do amor distante da felicidade, são muitas as semelhanças. Como também há diferenças, a música (tão presente para os dois), porém bem diferente, Davies a utiliza para aprofundar os sentimentos, até quando nem é mais necessário. E Davies é muito mais narrativo, pouco poético, os movimentos dos personagens tem clareza, as falas são diretas, é de uma beleza dura, chamuscada. A beleza melancólica. Mas há algumas cenas desencontradas, talvez mal editadas, que padecem de nexo como um todo.