Posts com Tag ‘Ulrich Seidl’

boanoitemamaeGoodnight Mommy / Ich Seh, Ich Seh (2014 – AUS) estrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

Celebrado como novo clássico cult do cinema de terror pscicologico, não traz nada além da conjunção de características do cinema austríaco, deixando de lado o lado críitico, para apelar a violência explicita. Perde assim, no ultimo ato, a atmosfera que vinha sendo criada pelos diretores Severin Fiala e Veronika Franz (sobrinho e esposa do produtor do filme, o cineasta Ulrich Seidl).

Por outro lado, a filme tem uma proposta estrutural que se assemelha muito a Funny Games, de Michael Haneke (outro cineasta austríaco), com violência bárbare e toda a ação intensificada dentro de uma casa afastada dos grandes centros. A mãe (Susanne Wuest) volta de uma cirurgia facial com comportamentos estranhos, e os irmãos gêmeos (Elias e Lukas Schwarz) estranham suas atitudes e perseguições a um deles, a ponto de duvidarem que ela seja realmente a mãe.

O toque de tragédia é marcado por cenas sádicas, e elementos anteriores (o gato, os insetos) que forçavam essa ideia que tentaria julgar a capacidade humana de promover a violência desenfreada. No fundo, com todo seu conceito técnico, fotografia fria e câmera que varia entre o distanciamento e o superclose (que intensifica o sádico), o filme só tinha mesmo segredinhos de roteiro para contar no final.

O austríaco Ulrich Seidl sempre causa estardalhaço, mas seus filmes dificilmente agradam a alguém. Se bem que, dessa vez, elogios moderados para o filme que faz parte da trilogia Paradise (o anterior esteve em Cannes este ano), ‘Paradise Faith’ está na competição principal e trata de uma católica fervorosa lutando contra seus desejos, inclusive uma relação libidinosa com a figura de Cristo.

Críticas: Screen DailyCine-VueThe Playlist

Termômetro: de olho

‘At Any Price’, de Ramin Bahrani, faz parte da mostra competitiva, e é um dramalhão sobre um pai (Dennis Quaid) fazendeiro de milho geneticamente modificado que deseja que um de seus filhos se interesse pelos negócios da família. A relação principal é com o filho que sonha em ser piloto (Zac Ephron) da Nascar. Duvidando que possa sair algo interessante dai, e a crítica anda dizendo isso. Zac Ephron apanhou bastante da crítica.

Críticas: Hollywood ReporterThe Playlist – Screen Daily

Termômetro: nem a pau

O falatório do dia ficou por conta de Spike Lee que vem a Veneza, fora de competição, com seu documentário comemorando os 25 anos da gravação do célebre disco de Michael Jackson. ‘Bad 25’ tem imagens dos bastidores de gravação e entrevistas com figuras como Sheryl Crow e Martin Scorsese. Além das referências do cantor pop, manias, um prato cheio para fãs de MJ, todo mundo parece ter aprovado.

Críticas: The TelegraphThe GuardianScreen Daily

Termômetro: de olho