Posts com Tag ‘Zachary Quinto’

snowdenSnowden (2016 – EUA) estrelaestrelaestrela_cinzaestrela_cinzaestrela_cinza

Imagine tudo que você já sabe sobre Snowden e suas polêmicas acusações de espionagem e controle da vida particular de qualquer um, pelo governo americano. Agora, encene toda essa história com atores famosos, sem acrescentar nada, esperando que qualquer reflexão surja do material que já é tão conhecido do público. O resultado do trabalho de Oliver Stone é exatamente este. Se conhece as matérias publicadas pelo The Guardian e etc, e pior, se já viu o documentário Citizenfour, você não terá nada novo a absorver aqui.

Stone até flerta com o thriller de espionagem, mas constrói mesmo um drama político com viés romântico importante. Quer escancarar os desmandos do governo americano e suas agências de inteligência. O discurso é didático, a denuncia antiga. Aguardem a paranoia crescer em desavisados, estes irão creditar a Oliver Stone uma poderosa denuncia, não passam de desavisados lendo noticia velha.

Joseph Gordon-Lewitt vai se tornando um especialista em sotaques, percebe-se claramente a grande preocupação do ator em compor características que se assemelhem ao personagem. É um esforço justificado, afinal, todo mundo já viu parte do vídeo onde Edward Snowden faz suas denuncias. Porém, é esse pouco quando um material tão poderoso fica a mercê de uma direção tão insípida e incapaz de colocar qualquer ponto de vista particular. Incrivel como nesse universo de informações ultra-sigilosos, o que possa se descartar é a discussão entre jornalistas para que se conseguisse publicar a matéria, um jogo de bastidores e medos que poucos filmes retrataram. Stone entrega entretenimento puro e simples, faz jus à sua filmografia.

alemdaescuridaostartrekStar Trek into Darkness (2013 – EUA) estrelaestrelaestrela1_2estrela_cinzaestrela_cinza

Com a nova configuração do cinema e J.J. Abrams na direção, o melhor mesmo é esquecer da mitologia de Star Trek, da série de TV lá dos anos 60 (que depois também virou uma franquia no cinema). Os personagens são os mesmos, algumas características também, mas, definitivamente, foram atualizados ao público atual.Lá se foi o tempo em que ficávamos tensos com um leve balançar da Enterprise.  Dito isso, o novo Star Trek funciona como um filme-de-ação-de-tirar-o-folego.

Após o desastrado primeiro filme, Abrams se concentra nas aventuras intergalácticas, e, dessa forma, fica tudo muito mais crível. Mesmo que o filme comece num vulcão em plena erupção, passando pelos absurdos da nave espacial inimiga que não detecta nenhum invasor e ninguém aparece onde eles estão. Tentando esquecer estes e outros absurdos, o ritmo mais que acelerado e a quantidade de eventos não permitem a ninguém respirar, ou perder a atenção. Entretenimento puro, Chris Pine, Zachary Quinto e cia, em altíssimas doses de adrenalina, apenas ela, a questão da mão forte intervir onde não foi solicitado passa tão despercebido.