Posts com Tag ‘Zoe Saldana’

guardioesdagalaxiaGuardians of the Galaxy (2014 – EUA) estrelaestrelaestrela1_2estrela_cinzaestrela_cinza

O humor tomou conta dos últimos filmes da Marvel. O estúdio encontrou a fórmula perfeita que tem atingido em cheio seu público, mas essa fórmula não pode apresentar sinais de desgaste em breve? O trailer causou comoção entre os críticos, via twitter, foi uma febre. As cabines de impresa não foram diferente. Muita gente gostando da nova farofada da Marvel, dirigida por James Gunn.

O que Guardiões da Galáxia tem de diferente? Nada, além do fato de ocorrer no espaço. É um Avengers, com personagens nem tão marcantes e/ou conhecidos, com humor por todos os lados, e uma adicional pegada pop (focada nas músicas anos 70) que só consegue atingir os trintões e quarentões.

De resto são brutamontes e ideias mirabolantes de roteiro que sempre resultam no sucesso dos mocinhos. É muito pouco quando observamos o saldo da quantidade de filmes de super-heróis que são lançados todos os anos. Haja bom humor e a mesmice forjada por excepcionais efeitos especiais.

Não entrega o grande filme que promete, nenhum personagem tem carisma, não consegue ser Star Wars e individualmente são heróis praticamente esquecíveis. Fora a incapacidade de criar um vilão marcante. Resultado final é uma farofada para ser aproveitada com algum combo das redes de cinema e depois ouvir Marvin Gaye o resto do dia.

alemdaescuridaostartrekStar Trek into Darkness (2013 – EUA) estrelaestrelaestrela1_2estrela_cinzaestrela_cinza

Com a nova configuração do cinema e J.J. Abrams na direção, o melhor mesmo é esquecer da mitologia de Star Trek, da série de TV lá dos anos 60 (que depois também virou uma franquia no cinema). Os personagens são os mesmos, algumas características também, mas, definitivamente, foram atualizados ao público atual.Lá se foi o tempo em que ficávamos tensos com um leve balançar da Enterprise.  Dito isso, o novo Star Trek funciona como um filme-de-ação-de-tirar-o-folego.

Após o desastrado primeiro filme, Abrams se concentra nas aventuras intergalácticas, e, dessa forma, fica tudo muito mais crível. Mesmo que o filme comece num vulcão em plena erupção, passando pelos absurdos da nave espacial inimiga que não detecta nenhum invasor e ninguém aparece onde eles estão. Tentando esquecer estes e outros absurdos, o ritmo mais que acelerado e a quantidade de eventos não permitem a ninguém respirar, ou perder a atenção. Entretenimento puro, Chris Pine, Zachary Quinto e cia, em altíssimas doses de adrenalina, apenas ela, a questão da mão forte intervir onde não foi solicitado passa tão despercebido.